domingo, 18 de novembro de 2007

A ler





Este livro de Bryan Ward-Perkins (A Queda de Roma e o Fim da Civilização, Aletheia Editores, 2006) é excelente. Trata-se de um ensaio sobre o que se passou realmente com as invasões bárbaras. O autor quer vincar a ideia que não houve, nem de perto nem de longe, uma transição pacífica entre o fim do Império Romano e o estabelecimento dos reinos bárbaros. Pelo contrário, as invasões foram isso mesmo, invasões, com tudo o que isso implica (guerra, assaltos, violações, imposição de regras, etc.)
Contudo, o que mais interessa destacar é o motivo que levou a que este livro fosse escrito. A doutrina historiadora que reune num mesmo capítulo o tempo que medeou entre o ano 200 e o séc. VIII (Antiguidade Tardia) tem como resultado o branqueamento (não há outro termo) da queda do Império Romano e a sua substituição pela «civilização» (?) bárbara. Isto significa que um facto capital da História da Europa é arrumado, classificado e tratado como um pequeno incidente no percurso da Humanidade nesta área geográfica.
O pretexto do autor é, precisamente, demonstrar o erro de tal perspectiva.
E consegue-o.
Recomendo, pois, a leitura de este excelente ensaio.
Também recomendo, e isto para não ser pedante, o óptimo (para quem goste do género) livro de Robert Silverberg Roma Eterna (colecção Nébula, PEA).

segunda-feira, 12 de novembro de 2007